Instituto Estadual de Florestas do Amapá

Acessibilidade: A+ A() A-
NOTÍCIAS

Governo reforça compromisso com manejo sustentável

13/11/2017 - 08:27
Foto: Sem Autor

A madeira com origem em áreas de manejo florestal sustentável e do reflorestamento agora faz parte do programa de compras sustentáveis da administração pública. O governo federal publicou decreto incluindo o produto na lista de critérios técnicos e práticas sustentáveis que podem ser exigidos nas licitações de órgãos da administração direta e indireta.

A medida contribui para a implementação de uma das linhas de ação do eixo de instrumentos normativos e econômicos, criado no âmbito dos Planos de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia e no Cerrado (PPCDAm e PPCerrado) 2016-2020.

Para o diretor de Florestas e de Combate ao Desmatamento do Ministério do Meio Ambiente, Jair Schmitt, a medida contribui para reduzir o desmatamento. Na prática, ela amplia o mercado legal de produtos madeireiros, ajudando a inibir a oferta de madeira com origem em áreas de desmatamento ilegal. "É um reforço do compromisso do governo brasileiro com o controle e a redução do desmatamento", avalia.

A medida alterou, ainda, a Comissão Interministerial de Sustentabilidade na Administração Pública (Cisap) ligada ao Ministério do Planejamento. O órgão é que define como a nova norma será aplicada às compras públicas. O decreto Nº 9.178, de 24 de outubro de 2017, esclarece que os critérios e práticas sustentáveis são admitidos nos editais como qualificação técnica, em caso de haver previsão legal, ou como critério técnico.

O Ministério do Meio Ambiente e o Serviço Florestal Brasileiro (SFB) aguardam a nomeação dos membros da Cisap para darem início à articulação que definirá os critérios técnicos para a implementação da nova norma. O SFB deverá promover a divulgação da medida e os cursos de capacitação nos setores de compras dos órgãos públicos.

MANEJO FLORESTAL

Mais de 1 milhão de hectares, quase duas vezes a área do Distrito Federal, estão sob o regime de concessão florestal em seis florestas nacionais, no Pará e em Rondônia. Nessas áreas, que podem ser beneficiadas com o novo decreto, o manejo florestal é acompanhado de perto pelas autoridades ambientais federais. Os contratos firmados com o SFB permitem a exploração da floresta por dez empresas pelo prazo 40 anos.

Além de pagar pelo direito de explorar economicamente as florestas públicas, as empresas cumprem contrapartidas ambientais e sociais discutidas em audiências públicas nas regiões das florestas que foram concedidas.

 


Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)
(61) 2028-1227/ 1311/ 1437
imprensa@mma.gov.br

 

Fonte: MMA


ARQUIVOS VINCULADOS
Nome Arquivo

Instituto Estadual de Florestas do Amapá - IEF
Av. Procópio Rola, 675 - Centro. Fone: (96) 3131-2650 Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International

Amapá